Nervous system of male body anatomy with highlighted brain anatomy

As LEDs em Rede Estão Modelando o Novo Sistema Nervoso das Cidades

Jun 1, 2016 por John Gordon, Diretor Digital da Current, distribuída pela GE


As lâmpadas de LED em rede com sensores embutidos podem criar um sistema nervoso para as cidades. Se colocadas em ruas, estacionamentos e edifícios, esta infraestrutura onipresente criará uma linha constante de dados úteis para governo, empresas e cidadãos.

Uma das missões mais importantes para os líderes das cidades é fornecer infraestrutura que permite que os cidadãos vivam e trabalhem de maneira segura e eficiente. O tipo de infraestrutura que as cidades fornecem tem evoluído continuamente conforme as necessidades mudam e as oportunidades surgem.

Em meu último post, eu falei do novo movimento das Cidades Inteligentes e a oportunidade de desencadear inovação urbana. Para conquistar isso será necessário um novo tipo de propósito de infraestrutura urbana construído para a era digital.

A antiga infraestrutura das cidades incluía coisas como paredes que fornecem proteção ou poços para água. Novos sistemas para energia, estradas, iluminação e até mesmo o Wi-Fi se concretizaram quando líderes viram tendências de crescimento e perceberam que havia uma forma de entregar essas coisas de modo efetivo para toda a comunidade, ao invés de deixar que os indivíduos resolvessem esses problemas sozinhos.

Estamos no início de outra evolução na infraestrutura das cidades. Esta evolução tem o potencial de trazer o maior impacto porque ela pode alavancar a criatividade e a inovação de todos os cidadãos, mas de maneira que beneficie as massas. Esta é a evolução da infraestrutura digital urbana. A infraestrutura digital urbana que permite ver, ouvir, sentir o cheiro (paladar ainda não, por algum tempo) das informações essenciais da cidade.

Partes desta infraestrutura já estão em ação. Câmeras nas estradas auxiliam o fluxo do tráfego. Sensores ambientais verificam a qualidade do ar. Microfones detectam tiros. Essas aplicações têm sido úteis à Prefeitura na hora de entregar o melhor serviço aos seus cidadãos.

Hoje em dia, cada um destes sensores é implantado para um propósito muito específico para resolver um problema muito específico para um usuário muito específico. O problema é que é muito caro implantar múltiplos sensores de propósitos especiais ao redor de uma cidade. Além disso, já que cada um deles é implantado para um uso muito específico, eles não foram projetados para empoderar cidadãos de maneira mais ampla.

A infraestrutura urbana deve estar aberta a todos. Toda as pessoas podem usar estradas e calçadas. Os sistemas de água e energia estão conectados a quaisquer edifícios através de utilitários. Departamentos de bombeiros respondem a todas as chamadas. Cada um pode ser usado para muitos propósitos e assim os custos dessa infraestrutura são compartilhados amplamente entre todos que a utilizam.

Você pode imaginar como seria se fizéssemos isso com a infraestrutura de outras cidades?

O condutor desta possibilidade muito real é uma infraestrutura tecnológica que está ao nosso redor todos os dias. Algo com o que acordamos todos os dias, algo que nos guia durante o dia e algo que não podemos viver sem – iluminação.

Lâmpadas de LED com microfones, sensores de vibração, capacidade de Wi-Fi público, câmeras e outros sensores que podem ser compartilhados para muitos propósitos e podem ser implantadas de maneira ampla e econômica apresentam a infraestrutura digital correta para habilitar um sistema nervoso para uma cidade ou empresa.

Por uma razão, a iluminação está em todos os lugares. Ela forma uma rede onipresente para capturar e transmitir dados desde as ruas da cidade até arranha-céus. Somente nos EUA, há cerca de 327 milhões de smartphones comparados a 7 bilhões de postes de luz! Em termos de infraestrutura física, nenhuma outra tecnologia se compara à natureza universal da iluminação e o potencial de criar soluções inteligentes e conectadas.

Junte este potencial com a crescente adoção. É esperado que o uso de LED expanda dos 28% de hoje em dia para 95% em 2025, desbloqueando o imenso valor para o mundo da redução do custo da energia e complexidade de negócios comerciais.

Os sensores embutidos através desta rede de iluminação onipresente extraem dados, e nós transformamos isso em ação através da plataforma Predix da GE, uma plataforma na nuvem, desenvolvida especificamente para a coleta e análise segura de dados dos sensores do mundo real.

As cidades têm o controle sobre qual tipo de dados e a quantidade que é compartilhada com diferentes grupos de usuários, mas assim que a infraestrutura é estabelecida, a criação de novas soluções para os dados pode ser muito mais rápida. Por exemplo, recentemente, uma cidade solicitou que analisássemos quando os pedestres estivessem na faixa de pedestres para deixar as ruas mais seguras. Originalmente, nós não tínhamos como resolver isso, mas rapidamente criamos um novo código que apresentou a solução para essa necessidade – e sabemos que existem inúmeras aplicações nas quais nem pensamos ainda.

Por isso estamos criando a infraestrutura digital como uma plataforma aberta e recrutando ativamente parceiros e desenvolvedores que podem levantar dados para resolver problemas e inovar aplicações.

As oportunidades a nossa frente são enormes, mas se as cidades continuarem a pensar em tecnologia como uma maneira de resolver um problema por vez, elas irão perder a oportunidade. Chegou a hora da infraestrutura digital impactar as cidades conforme o caminho para o crescimento e a prosperidade econômica se abre.

(Imagem de cima: Cortesia do Getty Images.) Este artigo foi publicado originalmente no LinkedIn.

John Gordon

John Gordon é Diretor Digital da Current, distribuída pela GE.

Todas as opiniões expressas são do autor.

Fale conosco

Tem alguma dúvida? Entre em contato e deixe nossa equipe te ajudar!

Fale conosco